O Mala

Ministra condenada

Cristiane Brasil: condenada pela Justiça Trabalhista

 


A primeira Mala de 2018 é a nova ministra do Trabalho de Temer, Cristiane Brasil, condenada pela Justiça Trabalhista, mas nomeada pelo papai, Roberto Jefferson, cacique do PTB, também condenado pelo mensalão. Antes de Cristiane ser “escolhida”, a eminência parda da República, José Sarney, havia vetado o deputado Pedro Fernandes (PTB-MA), o primeiro anunciado pelo Planalto.

E Cristiane já tomou posse, apesar de condenada pela Justiça Trabalhista por não assinar a carteira de trabalho e não pagar gratificações como férias, aviso prévio e gratificações natalinas aos seus funcionários.

A filha de Roberto Jefferson, condenado pelo Supremo Tribunal Federal no julgamento do mensalão, foi condenada a pagar R$ 60 mil por violar a lei trabalhista, em processo movido por um motorista em 2016, que alegou trabalhar 15 horas por dia para a família de Cristiane. A Justiça acatou o pedido, e a sentença foi confirmada pelo Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região (TRT1).

Cristiane Brasil, que também é acusada de receber R$ 20 milhões da Friboi, dos irmãos Batista, e R$ 200 mil de caixa dois, da Odebrecht, já havia sido processada e condenada em processo movido por outro motorista, Leonardo Eugênio de Almeida Moreira e, nesse caso, fez um acordo para pagar a ele R$ 14 mil, divididos em dez parcelas.

No processo, o de nº 0010538-31.2015.5.01.0044, com o último motorista, Cristiane não teve tanta sorte. Foi condenada a pagar R$52.200,00 em 18 parcelas de R$ 2.900,00. A atual ministra do Trabalho teria atrasado o pagamento e teve a conta bloqueada, com penhora de R$ 30.000,00 (e ofereceu acordo em parcela de R$ 2.900,00). Nos últimos meses de 2017, ela sofreu novas penhoras, porém, por incrível que pareça, Cristiane, que como deputada federal ganha R$33.763, só tinha R$ 700,00 em conta.

O dinheiro usado para pagar as parcelas da dívida trabalhista da nova ministra de Temer, tem saído da conta bancária de uma funcionária lotada em seu gabinete na Câmara. O advogado do motorista, Carlos Alberto Patrício de Souza, notou que têm saído mensalmente da conta bancária de Vera Lúcia Gorgulho Chaves de Azevedo — e não de Cristiane — o pagamento mensal. O jornal O GLOBO confirmou que Vera Lúcia é funcionária do gabinete de Cristiane Brasil.

 

 

Deixe uma resposta

Veja Também