Outro Olhar

O click de um artista

A sensibilidade rara de um artista da fotografia


Aristides Alves

Um dos expoentes da fotografia na Bahia. Pioneiro, talentoso, atento a tudo que vê, sente e registra com sensibilidade rara. Mora em Salvador desde 1972. Nasceu em Belo Horizonte, graduou-se em biologia em 1978 e depois em jornalismo, 1983, pela Universidade Federal da Bahia. Desenvolveu intensa atividade cultural no campo da fotografia desde a década de 1970, não somente como fotógrafo, mas também como agitador cultural, curador e ensaísta.

Aristides Alves é um dos fundadores do grupo Fotobahia, que produziu mostras coletivas, cursos, oficinas e encontros anuais realizadas entre 1978 e 1984. Atuou também no campo do fotojornalismo, criando a primeira agência de fotografia na Bahia – ASA, foi correspondente da agência paulista F4 e coordenador do Núcleo de Fotografia da Funceb.

Seu trabalho pessoal é marcado pelo profundo interesse que devota à terra de adoção e pela valorização das tradições culturais e religiosas baianas. É autor de 15 livros, entre eles Fotografia (1988), Máscaras da Bahia (1992), Orixás (1994), Outros (1995) e Chapada Diamantina (1997), Garimpo de Imagens (2008), além da obra de caráter histórico: A Fotografia na Bahia, 1839-2006 (2006).

Realizou diversas exposições individuais e participou de importantes coletivas e bienais no Brasil e no exterior. Atualmente ensina fotografia, trabalha com pesquisa, curadoria e montagem de exposições, desenvolve trabalhos autorais e projetos editoriais.

Tem fotos nos acervos de importantes museus do país: MAM/Bahia, MAM/RJ, MASP/SP, Museu de Fotografia da Cidade de Curitiba, Museu Afro Brasil.SP, Coleção Joaquim Paiva, Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo, Coleção Itaú Cultural/SP, entre outros.

 

 

Deixe uma resposta

Veja Também