O Mala

Entregando o ouro

Fernandinho liberou geral

Sorrateiramente, no melhor estilo de Temer, Padilha, Moreira Franco e Jucá, a fina flor da facção palaciana do PMDB, o Governo está criando um novo marco regulatório para a mineração no país. Com mais uma medida provisória, sem nenhum debate com a sociedade, o ministro Fernando Coelho Filho, o Mala da Semana, acabou com o Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) e criou a Agência Nacional de Mineração, uma espécie de mãe cega, surda e muda para as mineradoras.

Diz que é para facilitar os investimentos no setor da mineração, ajudar os pobres empresários estrangeiros a buscar ferro, diamante, nióbio e ouro no nosso rico território mas, na verdade, é ainda pior do que isso. Liberou geral. Agora pode esculhambar à vontade, sem preocupação com essas frescuras de meio ambiente, com essa conversa mole de desastre ambiental em Mariana

Veja que absurdo: A nova agência não terá a atribuição de fiscalizar as 220 grandes barragens dos reservatórios de rejeitos, tipo minério de ferro, que existem no país. Diferente do que fazia (ou deveria fazer) o extinto DNPM, barragens iguais a da Samarco, que causou o maior desastre ambiental da história do Brasil, não serão fiscalizadas pela nova agência. Passam a ser responsabilidade do IBAMA, que já não consegue fiscalizar nem os últimos resquícios de mata atlântica que ainda existem por aí.

E mais: quando a tal nova agência fechar um negócio com uma mineradora, a exploração começa imediatamente, sem depender de licenciamento ambiental, que pode vir depois. E quando acabar de explorar a jazida pode se mandar e deixar o buraco lá aberto, porque a tal nova agência também não tem a obrigação de fiscalizar “o encerramento da atividade de lavra”.

Quer dizer: o Mala ministro das Minas e Energia, o Fernandinho Coelho Filho é maluco ou corre atrás de avião prá ver a placa? Ou é um dos mais espertos no subsolo dessa terra de Mãe Joana?

 

 

Deixe uma resposta

Veja Também