Outro Olhar

Você já foi a Angola? Então vá!

Holanda Cavalcanti nos revela um mesmo jeito de ser de dois povos: a ternura, a beleza, a alegria e a musicalidade. Bahia e África tem tudo a ver.   


Holanda Cavalcanti mostra em fotos como a cultura singular e plural de dois continentes, revelam-se frente e verso de um mesmo jeito de ser: a ternura, a beleza, a alegria e a musicalidade no cotidiano angolano e baiano. As fotos são em Angola, reveladoras de como Bahia e África tem tudo a ver.   

A escola infantil de artes que tinha em Salvador e a faculdade de Letras foram deixadas de lado quando Holanda Cavalcanti se deu conta de que a fotografia era seu caminho. Começou em 1988, na Tribuna da Bahia, onde, além de fotografar, assinava uma coluna dominical sobre fotografia. Transferiu-se para um jornal que acabou não indo às ruas, Folha Sete, e passou pelo Jornal da Bahia. Mudou-se para Florianópolis, onde foi editora e fotógrafa da revista Expressão, arrumou as malas e partiu em direção ao Rio de Janeiro, para editar o Relatório Anual da Odebrecht e fazer frilas para a Editora Abril, Folha de SP, o jornal Village Voice, de Nova York, e publicações institucionais de Furnas, Unimed paulistana e Abimaq, até desembarcar em São Paulo, onde editou a Odebrecht Informa.

Como fotojornalista, Holanda teve a oportunidade de viajar bastante. Conheceu bem o sul do Brasil e esteve alguns anos em Angola, Colômbia, Peru e República Dominicana: “Graças a essas viagens, tive a chance de fotografar diversas culturas”.

Ela diz que seu mestre foi Pierre Verger — “suas fotos têm alma; da simplicidade do cotidiano do negro, ele extrai a ternura, a beleza e a cultura do povo”.  É pelos mesmos caminhos que Holanda tem se enveredado. No Brasil e no outro lado do Atlântico.

Expôs numa galeria em Luanda, sob o título Gente Bela. As imagens deram no livro Ê, Povo, Ê (Versal), onde Holanda faz um esperto jogo de adivinhação entre fotos da Bahia e de Angola. “As pessoas são muito parecidas, fisicamente e nos costumes, na alegria e na música”, diz. O livro é um dos que integram a seleção dos 10 melhores livros de fotografia que abordam temas relacionados à cultura afro-brasileira, lançado este ano No Dia Nacional da Consciência Negra, pela Revista ZUM.

OutraBahia revela algumas das inúmeras fotos feitas em suas andanças africanas por Angola. Holanda Cavalcanti mostra em fotos como a cultura singular e plural de dois continentes, revelam-se frente e verso de um mesmo jeito de ser: a ternura, a beleza, a alegria e a musicalidade no cotidiano angolano e baiano. As fotos são em Angola, reveladoras de como Bahia e África tem tudo a ver. 

 

 

Deixe uma resposta

Veja Também